PROCURAR

Congresso 2017

  • Presidente Reeleito Eng. António Monteiro
  • Membros da Direção do Partido
responsive jquery slider joomla

Notice: Undefined variable: root in /home/ucidcv/public_html/plugins/content/soccomments/soccomments.php on line 129

UCID preocupada “fundamentalmente” com questões sociais e económicas

A União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) quer que o Governo “faça tudo para que a população cabo-verdiana não sofra com a pandemia” da covid-19 e diz-se preocupada “fundamentalmente” com as questões sociais e económicas.

O líder da UCID, António Monteiro, que participou no debate da sessão parlamentar de Abril directamente da ilha de São Vicente, via videoconferência, “para analisar o presente e perspectivar o futuro”, chamou a atenção do executivo “para que o presente seja profundamente reanalisado”, visando dotar todas as famílias e empresas dos recursos necessários para a manutenção dos postos dos trabalhos.

O parlamentar considerou que o Governo tem feito “algo muito importante”, mas que é preciso fazer-se “muito mais”, tendo exemplificado que no caso particular de São Vicente “há muitas famílias que, infelizmente, não conseguiram ter o apoio que precisam para debelarem um pouco a crise”.

Exortou o executivo a esforçar-se “um pouco mais” para que as famílias tenham o que considera ser devido para a minimização da crise e reforçou este apelo para que as empresas cabo-verdianas tenham os recursos financeiros, “sem nenhum tipo de burocracia”, para que continuem a contribuir para o sustento da economia.

Por tudo isto, alertou para a necessidade de se “perspectivar o futuro relativamente aquilo que vem” nos próximos meses, que o mesmo classifica de “uma grande incógnita”, que carece de “soluções matemáticas complexas e capacidades muitas, para que o povo e a Nação possam sair da pandemia com alguma esperança no futuro.

António Monteiro exortou o Governo a encontrar outras soluções técnicas para o desenvolvimento económico e social do País, a par do turismo, ao mesmo tempo que exigiu a criação de medidas de protecção para todos os agentes da saúde pública, agentes de segurança e policiais, para que não sejam contaminados ao serviço da Nação.

Reclamou a falta de produtos como álcool, álcool gel e máscaras, e sugere que nas lhas infectadas como Boa Vista, Santiago e São Vicente, o Governo coloque os equipamentos para fazer as análises, a fim de ser “mais célere” a resposta que a pandemia requer.

Fonte: Infopress