PROCURAR

Congresso 2017

  • Presidente Reeleito Eng. António Monteiro
  • Membros da Direção do Partido
responsive jquery slider joomla

Notice: Undefined variable: root in /home/ucidcv/public_html/plugins/content/soccomments/soccomments.php on line 129

Covid-19: UCID apela ao Governo a reanalisar as acções no terreno para acudir famílias com dificuldades

A União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) apelou ao Governo a reanalisar as acções implementadas no terreno, no âmbito do estado de emergência, para ajudar as famílias com mais dificuldades.

O repto foi lançado pelo presidente da UCID, António Monteiro, durante a sua intervenção na declaração política no parlamento, que teve como propósito analisar o estado de emergência no País e a questão da crise da covid-19, que neste momento já infectou mais de 100 pessoas em Cabo Verde.

A UCID entende que perante a situação da pandemia da codiv-19, os políticos e o Governo devem colocar em prática as medidas mais importantes para ajudar as famílias, pessoas e as empresas.

“As consequências sociais em todo o país exigem da governação central e local uma atitude proactiva, para fazer com que as pessoas em casa tenham os níveis necessários prometidos pelo Governo, para poderem levar a vida com menor dificuldades”, referiu.

António Monteiro avançou que aquilo que o seu partido constatou no terreno, mais propriamente em São Vicente, não deixa os democratas cristãos tranquilos nem sossegados, uma vez que existem ainda famílias que não receberam sestas básicas ou o rendimento social prometido pelo Governo.

Perante este cenário, a UCID defende que o executivo Governo deve reanalisar as acções no terreno, criar as condições para que todas as famílias e pessoas com dificuldades tenham acesso às sestas básicas, independentemente de estarem inscritos ou não no cadastro social único.

Na ocasião, o líder da UCID considerou que as medidas anunciadas pelo Governo são boas, mas sublinhou que as mesmas devem ser postas em prática, não só para acudir as famílias, mas também as empresas cabo-verdianas que neste momento se encontram em dificuldades.

Fonte: Inforpress